Português
Portugal
registe-se

registe-se
Esqueceu-se da palavra-passe?


Histórico de procura
Lembrete
Links para eurlivro.pt

Dica do eurolivro.pt
livros similares
Outros livros adicionais, que poderiam ser muito similares com este livro:
Ferramentas de pesquisa
Dicas de livros
Atualidades
Publicidade
FILTRO
- 0 resultados
menor preço: 29,31 €, preço mais alto: 75,56 €, preço médio: 56,55 €
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil) - Benjamin Abdala Junior
livro esgotado
(*)
Benjamin Abdala Junior:
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil) - Livro de bolso

ISBN: 8526008811

Paperback, [EAN: 9788526008816], Global, Global, Book, [PU: Global], Global, Antero de Quental, homem de personalidade estranha, sombrio, niilista, mas também virtuoso, humilde, atormentado "pelo olhar da esfinge", segundo a expressão de Miguel de Unamuno, "um santo que era um gênio" (Eça de Queirós), foi o destino mais trágico da literatura portuguesa. Poeta e pensador, integrou a famosa geração de 70, que sacudiu a mesmice da vida portuguesa, procurando integrar o país ao mundo moderno. Antero era o centro dessa geração brilhante, da qual faziam parte um Eça de Queirós, um Oliveira Martins, um Ramalho Ortigão. Natural dos Açores, Antero (1842-1891) formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra (1864), onde sempre assumia a liderança nos conflitos entre o conservadorismo da instituição e o espírito de rebeldia dos estudantes. Durante essa fase escreve as Primaveras Românticas, só publicadas em 1872, os Sonetos (1861) e as Odes Modernas (1865), que traziam um frêmito novo à poesia portuguesa, pregando o progresso social e cujo fundo o poeta sintetizou na frase provocadora: "a Poesia moderna é a voz da Revolução". Mas é nos Sonetos que se encontra a mensagem mais alta e pessoal, mais densamente humana de Antero, traduzindo os seus conflitos íntimos, a sua alta tensão espiritual, a angústia permanente de uma alma sedenta de luz ("Viva e trabalhe em plena luz: depois/ seja-me dado ainda ver, morrendo,/ o claro sol, amigo dos heróis!"). Depois de duas edições com um pequeno número de poemas, os Sonetos Completos, dos mais perfeitos da língua em todos os tempos, foram lançados em 1886, constituindo uma espécie de autobiografia de uma alma atormentada, ou "memórias de uma consciência" como observou um crítico. A arte, porém, não apaziguou o coração do poeta, que se suicidou, em 1891. Guerra Junqueiro, seu amigo, escreveu então que "mais bela ainda que os seus livros, a sua vida". Mais bela, talvez. Muito mais trágica, com certeza., 1000, Subjects, 1, Arts & Photography, 2, Biographies & Memoirs, 3, Business & Money, 3248857011, Calendars, 4, Children's Books, 12290, Christian Books & Bibles, 4366, Comics & Graphic Novels, 5, Computers & Technology, 6, Cookbooks, Food & Wine, 48, Crafts, Hobbies & Home, 8975347011, Education & Teaching, 173507, Engineering & Transportation, 301889, Gay & Lesbian, 10, Health, Fitness & Dieting, 9, History, 86, Humor & Entertainment, 10777, Law, 17, Literature & Fiction, 173514, Medical Books, 18, Mystery, Thriller & Suspense, 20, Parenting & Relationships, 3377866011, Politics & Social Sciences, 21, Reference, 22, Religion & Spirituality, 23, Romance, 75, Science & Math, 25, Science Fiction & Fantasy, 4736, Self-Help, 26, Sports & Outdoors, 28, Teen & Young Adult, 5267710011, Test Preparation, 27, Travel, 283155, Books

livro novo Amazon.com
Pure Brazil
, Neuware Custos de envio:Usually ships in 1-2 business days, mais custos de envio
Details...
(*) Livro esgotado significa que o livro não está disponível em qualquer uma das plataformas associadas buscamos.
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil) - Antero de Quental
livro esgotado
(*)
Antero de Quental:
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil) - novo libro

ISBN: 8526008811

Broché, [EAN: 9788526008816], Global, Global, Book, [PU: Global], Global, Antero de Quental, homem de personalidade estranha, sombrio, niilista, mas também virtuoso, humilde, atormentado "pelo olhar da esfinge", segundo a expressão de Miguel de Unamuno, "um santo que era um gênio" (Eça de Queirós), foi o destino mais trágico da literatura portuguesa. Poeta e pensador, integrou a famosa geração de 70, que sacudiu a mesmice da vida portuguesa, procurando integrar o país ao mundo moderno. Antero era o centro dessa geração brilhante, da qual faziam parte um Eça de Queirós , um Oliveira Martins, um Ramalho Ortigão. Natural dos Açores, Antero (1842-1891) formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra (1864), onde sempre assumia a liderança nos conflitos entre o conservadorismo da instituição e o espírito de rebeldia dos estudantes. Durante essa fase escreve as Primaveras Românticas, só publicadas em 1872, os Sonetos (1861) e as Odes Modernas (1865), que traziam um frêmito novo à poesia portuguesa, pregando o progresso social e cujo fundo o poeta sintetizou na frase provocadora: "a Poesia moderna é a voz da Revolução". Mas é nos Sonetos que se encontra a mensagem mais alta e pessoal, mais densamente humana de Antero, traduzindo os seus conflitos íntimos, a sua alta tensão espiritual, a angústia permanente de uma alma sedenta de luz ("Viva e trabalhe em plena luz: depois/ seja-me dado ainda ver, morrendo,/ o claro sol, amigo dos heróis!").[...], 301130, Thèmes, 689215031, Actu, Politique et Société, 4237308031, Adolescents, 301144, Art, Musique et Cinéma, 301133, Bandes dessinées, 293136011, Beaux livres, 302050, Cuisine et Vins, 301147, Dictionnaires, langues et encyclopédies, 301985, Droit, 301135, Entreprise et Bourse, 573312, Érotisme, 406310, Esotérisme et Paranormal, 3961911, Etudes supérieures, 301142, Famille, Santé et Bien-être, 301138, Fantasy et Terreur, 689214031, Histoire, 302009, Humour, 301131, Informatique et Internet, 301132, Littérature, 302042, Littérature sentimentale, 301137, Livres pour enfants, 355635011, Loisirs créatifs, décoration et bricolage, 302004, Manga, 355636011, Nature et animaux, 301134, Policier et Suspense, 301997, Religions et Spiritualités, 1381962031, Science-Fiction, 301139, Sciences humaines, 301141, Sciences, Techniques et Médecine, 301146, Scolaire et Parascolaire, 301143, Sports et passions, 302051, Tourisme et Voyages, 301061, Livres

livro novo Amazon.fr
Brasbook
Nouveau produit Custos de envio:En Allemagne, Italie, Lux.,Hollande, USA, plus 1,55 EUR par produit,plus frais locaux (EUR 4.50)
Details...
(*) Livro esgotado significa que o livro não está disponível em qualquer uma das plataformas associadas buscamos.
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil)
livro esgotado
(*)
0:
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil) - Livro de bolso

ISBN: 8526008811

Paperback, [EAN: 9788526008816], Global, Global, Book, [PU: Global], Global, Antero de Quental, homem de personalidade estranha, sombrio, niilista, mas também virtuoso, humilde, atormentado "pelo olhar da esfinge", segundo a expressão de Miguel de Unamuno, "um santo que era um gênio" (Eça de Queirós), foi o destino mais trágico da literatura portuguesa. Poeta e pensador, integrou a famosa geração de 70, que sacudiu a mesmice da vida portuguesa, procurando integrar o país ao mundo moderno. Antero era o centro dessa geração brilhante, da qual faziam parte um Eça de Queirós , um Oliveira Martins, um Ramalho Ortigão. Natural dos Açores, Antero (1842-1891) formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra (1864), onde sempre assumia a liderança nos conflitos entre o conservadorismo da instituição e o espírito de rebeldia dos estudantes. Durante essa fase escreve as Primaveras Românticas, só publicadas em 1872, os Sonetos (1861) e as Odes Modernas (1865), que traziam um frêmito novo à poesia portuguesa, pregando o progresso social e cujo fundo o poeta sintetizou na frase provocadora: "a Poesia moderna é a voz da Revolução". Mas é nos Sonetos que se encontra a mensagem mais alta e pessoal, mais densamente humana de Antero, traduzindo os seus conflitos íntimos, a sua alta tensão espiritual, a angústia permanente de uma alma sedenta de luz ("Viva e trabalhe em plena luz: depois/ seja-me dado ainda ver, morrendo,/ o claro sol, amigo dos heróis!").[...], 1000, Subjects, 1, Arts & Photography, 2, Biographies & Memoirs, 3, Business & Money, 3248857011, Calendars, 4, Children's Books, 12290, Christian Books & Bibles, 4366, Comics & Graphic Novels, 5, Computers & Technology, 6, Cookbooks, Food & Wine, 48, Crafts, Hobbies & Home, 8975347011, Education & Teaching, 173507, Engineering & Transportation, 301889, Gay & Lesbian, 10, Health, Fitness & Dieting, 9, History, 86, Humor & Entertainment, 10777, Law, 17, Literature & Fiction, 173514, Medical Books, 18, Mystery, Thriller & Suspense, 20, Parenting & Relationships, 3377866011, Politics & Social Sciences, 21, Reference & Test Preparation, 22, Religion & Spirituality, 23, Romance, 75, Science & Math, 25, Science Fiction & Fantasy, 4736, Self-Help, 26, Sports & Outdoors, 28, Teen & Young Adult, 27, Travel, 283155, Books

livro novo Amazon.com
Cultura_Brasil
Nouveau produit Custos de envio:mais custos de envio
Details...
(*) Livro esgotado significa que o livro não está disponível em qualquer uma das plataformas associadas buscamos.

Pormenores referentes ao livro
Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil)

Antero de Quental, homem de personalidade estranha, sombrio, niilista, mas também virtuoso, humilde, atormentado "pelo olhar da esfinge", segundo a expressão de Miguel de Unamuno, "um santo que era um gênio" (Eça de Queirós), foi o destino mais trágico da literatura portuguesa. Poeta e pensador, integrou a famosa geração de 70, que sacudiu a mesmice da vida portuguesa, procurando integrar o país ao mundo moderno. Antero era o centro dessa geração brilhante, da qual faziam parte um Eça de Queirós, um Oliveira Martins, um Ramalho Ortigão. Natural dos Açores, Antero (1842-1891) formou-se em Direito pela Universidade de Coimbra (1864), onde sempre assumia a liderança nos conflitos entre o conservadorismo da instituição e o espírito de rebeldia dos estudantes. Durante essa fase escreve as Primaveras Românticas, só publicadas em 1872, os Sonetos (1861) e as Odes Modernas (1865), que traziam um frêmito novo à poesia portuguesa, pregando o progresso social e cujo fundo o poeta sintetizou na frase provocadora: "a Poesia moderna é a voz da Revolução". Mas é nos Sonetos que se encontra a mensagem mais alta e pessoal, mais densamente humana de Antero, traduzindo os seus conflitos íntimos, a sua alta tensão espiritual, a angústia permanente de uma alma sedenta de luz ("Viva e trabalhe em plena luz: depois/ seja-me dado ainda ver, morrendo,/ o claro sol, amigo dos heróis!"). Depois de duas edições com um pequeno número de poemas, os Sonetos Completos, dos mais perfeitos da língua em todos os tempos, foram lançados em 1886, constituindo uma espécie de autobiografia de uma alma atormentada, ou "memórias de uma consciência" como observou um crítico. A arte, porém, não apaziguou o coração do poeta, que se suicidou, em 1891. Guerra Junqueiro, seu amigo, escreveu então que "mais bela ainda que os seus livros, a sua vida". Mais bela, talvez. Muito mais trágica, com certeza.

Dados detalhados do livro - Antero de Quental - Coleção Melhores Poemas (Em Portuguese do Brasil)


ISBN (ISBN-10): 8526008811
Livro de bolso
Editor/Editora: Global

Livro na base de dados desde 26.03.2007 15:02:51
Livro encontrado pela última vez no 25.09.2017 12:21:07
Número ISBN/EAN: 8526008811

Número ISBN - Ortografia alternativa:
85-260-0881-1


< Para arquivar...
Livros relacionados